domingo, 21 de fevereiro de 2010

Por quê? (192) Produção literária em baixa


Cláudio Amaral


Relutei muito a aderir ao Twitter e agora fico a imaginar a razão.

Certeza absoluta eu ainda não tenho, mas tudo indica que minha adesão ao Twitter afetou diretamente minha produção literária.

Em tempo: se é, claro, que podemos chamar de produção literária todos os textos que tenho publicado aqui e em outros meios de comunicação.

O certo é que minha chamada produção literária caiu quase a zero.

Se não vejamos: em 2008, produzi e publiquei 140 textos, além de reeditar um livro que chamei de Meus escritos de memória.

Em 2009, foram apenas 51 textos, quase um terço da produção do ano anterior.

As razões são, basicamente, duas: porque até 17 de junho estive dedicado de corpo e alma à Redação de A Tribuna de Santos e depois – em setembro, outubro, novembro e dezembro – porque entrei de cabeça na pesquisa da vida e obra do empresário português João Antunes dos Santos, cuja biografia será escrita pelo meu compadre e Amigo Carlos Conde.

Em 2010, quando estamos no 51º dia (31 de janeiro e 20 de fevereiro), minha produção literária se resume a um texto, o anterior, escrito na fila de espera do Aeroporto de Congonhas e editado no Hotel Gloria, em Blumenau (SC).

No mais, limitei-me a produzir textos de no máximo 140 caracteres e a publicá-los no Twitter.

Tudo porque em meados de dezembro cedi aos apelos dos Amigos Mário Evangelista e Wilson Marini.

Mário “Gatão”, Editor-Executivo do Expresso Popular, em Santos, foi quem me registrou no Twitter ainda quando eu estava na Redação d’A Tribuna.

Marini insistiu algo como seis meses depois, quando ele já havia trocado A Tribuna pela sucursal paulistana da APJ, a Associação Paulista de Jornais.

Diante da insistência de ambos, lá fui eu, novamente de corpo e alma, como tudo o que faço nesta vida.

Arrependido?

Não. Não estou arrependido.

Tenho feito textos ótimos para o Twitter e reencontrado muitos amigos e conhecidos no sistema.

Só lamento que isso tenha derrubado minha produção literária.

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968, repórter, editor, professor e orientador de jovens jornalistas, palestrante e consultor de empresas para assuntos de comunicação empresarial e institucional.

20/2/2010 15:11:39

Um comentário:

Mario Evangelista disse...

Claudião, querido. Não, não creio que sua adesão no twitter tenha derrubado sua produção literária. Tenho visto seus textos no microblog como isso mesmo: microcontos, microcrônicas. Se somar todos eles - tenho certeza - verá que produziu um texto literário partido em pequenas peças, formando um mosaico maravilhoso. Beijos