quinta-feira, 8 de julho de 2010

Por quê? (201) Parque da Aclimação


Cláudio Amaral

Sempre tive identificação pessoal e próxima com os nossos parques públicos.

Sempre.

Se me lembro bem, as praias de Santos foram as únicas que me distanciaram dos nossos parques.

Em Adamantina, cidade onde nasci, na falta de parques, eu procurava as praças públicas. Especialmente a praça onde hoje (8/6/2010) funciona a Secretaria de Cultura e a Biblioteca Municipal.

Ainda em Adamantina, eu frequentava sempre a praça que fica em frente à estação ferroviária. Até porque era lá que eu ia para encomendar as transmissões das minhas primeiras notícias para a Rádio Bandeirantes de São Paulo.

Em Marília, em Campinas, em São Paulo, em Campo Grande e em Franca, cidades onde vivi e trabalhei nos últimos 60 anos, 7 meses e cinco dias, sempre procurei conhecer e frequentar os nossos parques públicos.

As praças também.

Lembro-me bem dos parques e praças de Brasília, Curitiba, Porto Alegre..., que frequentei quase todas as vezes que lá estive.

Aqui em São Paulo o primeiro parque que conheci de perto e em detalhes foi aquela ampla área existente em torno do Museu do Ipiranga. Eu ia lá todas as tardes de domingo quando voltei para a Capital paulista por conta do meu trabalho para o Estadão. Ia com minha avó materna, Durvalina. Até porque o jornal não circulava às segundas-feiras.

É exatamente daquele período meu primeiro contato com o parque público que mais me identifico nos últimos quase 40 anos: o Parque da Aclimação.

De carona com um motorista do Estadão que morava no ABC Paulista, eu fazia o trajeto entre as ruas Major Quedinho, no Centro, e a Cisplatina, no Ipiranga, sempre passando pela lateral do Parque da Aclimação.

Era noite, sempre à noite, mas eu logo tomei gosto e fiquei encantado com o verde do Parque da Aclimação.

E um dia, ainda à noite, eu disse ao motorista do Estadão:

- Quando eu me casar e tiver filhos, vou querer criá-los aqui, no Parque da Aclimação.

Disse e fiz.

Sem esforço algum, fiz com que Sueli e meus filhos passassem a gostar do Parque da Aclimação. E como eles, muitos e muitos amigos.

São incontáveis as manhãs, as tardes e os dias inteiros que passamos, Sueli e eu, com os filhos no Parque da Aclimação.

São incontáveis as caminhadas que já fizemos pelas pistas do Parque da Aclimação.

O Parque da Aclimação tem um astral indescritível.

A temperatura, no Parque da Aclimação, varia de 1 a 2 graus para menos, segundo o colega Geraldo Nunes, repórter aéreo da Rádio Eldorado. Ou seja: nada mais agradável do que estar no Parque da Aclimação, caminhar pelo Parque da Aclimação, ler um livro no Parque da Aclimação, estar com os filhos no Parque da Aclimação.

Mas hoje, ao abrir o Estadão, o meu Estadão, vejo lá: querem mudar o nome do Parque da Aclimação.

Só pode ser coisa de quem não tem o que fazer.

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br reside na Aclimação desde que se casou com Sueli, no dia 5/9/1971. É jornalista desde 1º de maio de 1968, repórter, editor, professor e orientador de jovens jornalistas, palestrante e consultor de empresas para assuntos de comunicação empresarial e institucional.

8/7/2010 15:42:00

5 comentários:

Blog do Cláudio Amaral disse...

Claudio Amaral

Saudações

O jornal períodico "Cambuci & Aclimação", questionou os fatos em uma publicação se eu não me engano a semana passada e motivo também de comentários no site do Orkut, e parece que foi feito contato com os Vereadores Danton Silvano e Dissei, junto com uma mobilização popular para barrar esta aberração.
Pode contar comigo para qualquer coisa, abraços,

Esplugues

Anônimo disse...

O pior é para qual nome querem mudar. "Bispo" Estevan Hernandez. Mas eu duvido que passe. Os vereadores do bairro jamais permitiriam. Mas, se for necessário um abaixo-assinado, contra este descalabro, pode contar com minha assinatura. De preferência quero ser a número um da lista.
Um abraço,
Daniela Brusco Amarante
moradora e trabalhadora do bairro e usuária do parque desde os 4 anos de idade.

Blog do Cláudio Amaral disse...

Jornal do Cambuci & Aclimação disse:

Prezado Cláudio, já estamos em campanha contra esse absurdo.

Blog do Cláudio Amaral disse...

Ana Maria Izzo disse

Sou moradora próxima ao Parque desde criança, minha ligação afetiva com êle é grande, até hoje sinto pela tragédia ocorrida com seus animais ano passado, vamos fazer 1 abaixo assinado para que seu nome não seja mudado e sim que sua limpeza do lago e obras deste sejam comcluídas para que os patinhos possam voltar com segurança. Vamos pedir para a Gazeta Aclimação ajudar e o Jornal do Cambuci.
Conte comigo.

Ana Maria Izzo

Leiliane Lopes disse...

Apesar de morar na zona leste eu estou extremamente indignada com essa mudança de nome ainda mais sendo esse nome de uma pessoa que nada fez pelo bairro. Convenhamos!!!! vou lutar com os moradores isso é o cúmulo da arrogância!