terça-feira, 17 de abril de 2012

Por quê? (280) Frei Cristiano, nosso novo pároco



Frei Cristiano - tal qual Frei Inocêncio - é torcedor do Corinthians


Cláudio Amaral

Cristiano Zeferino de Faria não pensava em ser padre. Queria casar, ter filhos e ser arquiteto. Mas Deus lhe deu outra missão e hoje ele é Pároco da Paróquia Santa Rita de Cassia da Vila Mariana, na zona sul da Capital paulista. Ele ocupa o lugar que foram, nos últimos anos, dos Freis Gaspar Blanco Ramos e Miguel Lucas (falecidos em 2010 e 2011, respectivamente) e Inocêncio Justus (transferido em fevereiro para o Santo Agostinho, no bairro Vergueiro, a três quilômetros da Aclimação).

Frei Cristiano nasceu em Goiânia, capital do Estado de Goiás, em 1971. Frequentava a Paróquia Nossa Senhora de Fátima, na capital goiana, e nada mais queria, em termos religiosos, do que ser um bom cristão.

Em 1990, o Pároco da Nossa Senhora de Fátima de Goiânia, Padre Valentim Lorenzana, convidou Cristiano para ser seminarista. Ele recusou. E repetiu: “Quero casar, ter filhos e ser arquiteto”.

Aí entrou em cena a inteligência e a experiência de vida de Padre Valentim. Ele convidou o jovem Cristiano, de 18 anos, para ajudar – apenas ajudar – no seminário que estava sendo organizado para treinamento de futuros sacerdotes.

Cristiano topou e passou a trabalhar na organização do evento, carregando mesas e cadeiras, atendendo os convidados, entre palestrantes e ouvintes.

Só deu conta de que também fazia parte da equipe de futuros seminaristas quando o seminário acabou. E, ao ser indagado a respeito, disse ao Padre Valentin: “Gostei”.

Imediatamente, Cristiano recebeu um livro para ler em uma semana. Não se recorda mais do nome, mas cumpriu o prazo. E ao devolvê-lo recebeu outro, que deveria levar de volta em um mês.

“Assim foi”, contou-me o simpático Frei Cristiano na Sacristia da Paróquia Santa Rita de Cássia de Vila Mariana no início da tarde desta terça-feira (17/4/2012).

“Foi até vir a luz e o questionamento para a vocação”, acrescentou o nosso novo Pároco. “Seguiram-se os diálogos com Padre Valentin e a decisão de fazer dois anos de Filosofia na Universidade Católica de Goiás, hoje PUC”.

Em seguida veio o Noviciado e a Ordenação aconteceu no dia 13/12/1998, na mesma Paroquia Nossa Senhora de Fatima, em Goiânia, na presença do então Arcebispo de Goiânia, Dom Antônio Ribeiro de Oliveira.

De Goiânia, Frei Cristiano foi para Curitiba, no Paraná, como Mestre de Postulantes. E, antes de vir para a Vila Mariana, trabalhou por mais dois anos na Argentina como administrador da Casa de Noviciado.

A posse como Pároco da Santa Rita de Cassia, em substituição ao Frei Inocêncio, deu-se no dia 19 de fevereiro de 2012. A solenidade foi presidida por Dom Tarcísio Scaramussa, Bispo Auxiliar da Região Episcopal Sé. Além dos paroquianos, que lotaram a Igreja, estiveram presentes também os superiores de Frei Cristiano: o Presidente da Federação Agostiniana no Brasil, Padre Pelaio Moreno, mais os Vicários Provinciais, Padres José Florêncio e Jesus Cavalleiro.

Com Padre Cristiano foram empossados os dois Vigários Paroquiais, o Frei Eris Drian e o Frei Claudio de Camargo. "São eles que ajudam o senhor a administrar a Paróquia?", perguntei a Frei Cristiano. E ele me respondeu: "Não. Quem administra a Paróquia Santa Rita de Cássia são os paroquianos".

Os três moram na Rua Dona Brígida, 671, na Vila Mariana, proximidades da Paróquia Santa Rita de Cássia. Lá fica o Professório Nossa Senhora do Bom Conselho, pertencente à Federação Agostiniana do Brasil.

Frei Cristiano fala dois idiomas, Português e Espanhol. Diz ter noções básicas de Italiano. “Mas só noções”, acrescenta, “pois, embora tenha vivido seis meses em Roma, estudando Espiritualidade Agostiniana, o curso foi todo em Espanhol”.

Mesmo que não tivesse planos de ser religioso, Frei Cristiano se diz “muito feliz” e confessa: “Amo minha vocação”.

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968.

17/4/2012 22:40:24

Nenhum comentário: