quinta-feira, 26 de abril de 2012

Por quê? (285) Rumo à Fórmula Indy, no Anhembi/SP


Rubinho, Tony Kanaan, Hélio Castroneves e Bia Figueiredo
(fotografados por Miguel Costa Jr.) estarão no Anhembi/SP
neste final de semana



Cláudio Amaral

Kart, Turismo, Marcas, Fórmula 2, Fórmula 3, Stock Cars, Motocross e Fórmula 1 são algumas das categorias do automobilismo brasileiro e internacional que passaram pelos meus olhos, pelos meus ouvidos, pela minha mente e pelos meus textos.

Emerson Fittipaldi, Wilson Fittipaldi Junior, Christian Fittipaldi, Rubens Barrichello, Raul Boesel, Paulão Gomes, Luiz Pereira Bueno, Alex Dias Ribeiro, Chico Serra, Ingo Hoffmann, José Carlos Pace, Mauricio Gugelmin, Nelson Piquet, Roberto Moreno e Ayrton Senna da Silva são alguns dos muitos pilotos de automobilismo que acompanhei e ou assessorei nas pistas brasileiras. Especialmente em São Paulo (Interlagos), no Rio de Janeiro (Jacarepaguá), Paraná, Goiás, Brasília, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Bahia. E nos autódromos estrangeiros também, em especial na Argentina (Buenos Aires e Baia Blanca), no Uruguai e no Paraguai.

Nos motódromos do Brasil estive lado a lado com pilotos como Gilberto Narezzi, Nivanor Bernardis, Rodney Smith, Jorge Negretti, Pedro Bernardo Raymundo, Eduardo Saçaki (japonês voador) e o saudoso Ylton Veloso Cavalcanti (Paraibinha).

Meus colegas de reportagens foram Reginaldo Leme no Estadão (atualmente na Rede Globo de Televisão), Moraes Eggers e Lito Cavalcanti na Folha de S. Paulo (hoje no SporTV), Sandro Pinto Moreno no Correio Braziliense, Luiz Augusto Michelazzo (O Globo), Sérgio Leitão (agências internacionais) e o saudoso Cecílio Favoretto (Agência Folha).

Na Fórmula Indy, entretanto, nunca estive. Nem nas vezes em que essa categoria do automobilismo mundial esteve no Brasil. Por conta disso, não conheço pessoalmente Hélio Castroneves, Tony Canaan, Vitor Meira, Raphael Matos, Gil de Ferran, Affonso Giafone, Felipe Giafone, Bruno Junqueira, Raphael Matos, Vitor Meira, entre outros. Conheço, sim, Antônio Pizzonia e Bia Figueiredo porque eles competiram na segunda metade dos anos 1990 no Kartódromo Schincariol, em Itu (SP).

Entre os dois, conheci melhor a pequena Ana Beatriz Caselato Gomes de Figueiredo, que deu muitos “banhos” nos meninos que se aventuravam a desafiá-la em Itu. Bia se tornou a primeira brasileira a competir numa categoria de alto nível do automobilismo mundial. Um dos destaques da Indy Lights, ela também é a única mulher com vitórias na competição, com os triunfos em Nashville 2008 e Iowa 2009, nos Estados Unidos.

Bia ficou nove anos no Kart e em 2009 foi eleita a personalidade mais popular da Indy Lights. Já correu na Fórmula Renault Brasil, Fórmula 3 Ligth, Fórmula 3 Sul-Americana e na A1GP.

Além de Bia Figueiredo, na Indy, neste final de semana, em São Paulo, terei chance de rever meu piloto favorito entre os homens: Rubens Barrichello. Vi Rubinho ganhar nove a cada dez provas que disputou no Kart e acompanhei à distância, mas sempre de olhos e ouvidos bem atentos, a brilhante carreira que ele fez ao longo de 19 anos na Fórmula 1, passando inclusive pela Ferrari. Ambos, Rubinho e Bia, são fãs de Ayrton Senna da Silva, o melhor piloto brasileiro na Fórmula 1.

Portanto, este final de semana, na pista montada na Marginal do Rio Tietê, a partir do Parque Anhembi, em São Paulo, onde estarei acompanhado do meu filho caçula, Flávio Murilo do Amaral, a Fórmula Indy promete ser marcante e histórica na minha vida de jornalista e fã da velocidade de competição. Só de competição, porque nas vias públicas prefiro respeitar a velocidade máxima de cada uma.

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968.


26/4/2012 22:15:42

Um comentário:

A ver navios disse...

Também tenho muitas lembranças desta época e de algumas destas pessoas, quando você me levava junto para acompanhar as corridas. Estar lá neste fim de semana, será o resgate dos bons momentos que vivemos juntos. Sem dúvida um dos melhores programas para pais e filhos que amam o automobilismo. Melhor que isso só se eu estivesse no cokpit! rsrs.