domingo, 8 de fevereiro de 2009

Por quê? (147) Eu a vi dedilhando


Cláudio Amaral

Dormi da uma hora da madrugada às 7h30 da manhã, neste domingo, 8 de fevereiro de 2009.

Dormi bem.

Dormi gostoso.

Um sono suave, tranquilo.

Fui acordado por uma ligação via celular.

Meu genro me convidava para o café da manhã no apartamento que ele vive com minhas filha e netinha, na Chácara Santa Cruz, proximidades do Metrô Alto do Ipiranga.

Um convite apetitoso, sem dúvida.

Mesmo assim, decidi por ir assistir, antes, a celebração da missa na capela das Irmãs da Visitação, na Rua Dona Ignácia Uchoa, na Vila Mariana.

Levantei, me preparei e desci para a sala.

Passo a passo, degrau por degrau.

Antes que a escada terminasse, parei para admirar o piano que para ela comprei há muitos anos.

Parei e fiquei a me lembrar das músicas que ela dedilhou para mim desde que o Piano Brasil chegou ao nosso lar.

Foram canções do repertório da música popular brasileira.

Músicas que ela aprendeu ainda solteira, em Marília.

Músicas que ela estudou nos últimos anos, depois que o coração dela se alegrou com o presente.

Músicas que ela estudou em São Paulo e em Franca, antes e depois de nossos meses de Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul.

Relembrei tudo isso e fiquei feliz.

E feliz eu fui para a igreja.

Fui pensando que agora só faltam 18 dias para a volta dela da Itália.

Dias que eu contarei, um a um, como quando criança eu contava carneirinhos para dormir.

Dias sobre os quais eu tenho uma dúvida cruel: quero que passem bem depressa, para que ela volte logo, ou bem devagar, para que ela aproveite bem a viagem que tanto desejou fazer?

Ah, meu Deus: que dúvida cruel.

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968, professor e orientador de jovens jornalistas, palestrante e consultor de empresas para assuntos de comunicação institucional até o dia 1º/10/2008, quando entrou na Redação d’A Tribuna de Santos como Editor-Executivo.

08/02/2009 23:54:13

Nenhum comentário: