quinta-feira, 7 de março de 2013

Por quê? (317) Ingenuidade ou má-fé?



Cláudio Amaral

Ingenuidade minha? Má-fé dos interessados (no caso, os seguidores de Hugo Chaves)? Falta de coragem de assumir a respectiva incompetência? Ou seria paranóia de comunistas, socialistas e inimigos declarados do país mais poderoso do planeta Terra, como a “esquerda festiva”?

Pelo sim, pelo não, a verdade é que os “irmãos” e os “filhos” do ex-presidente da Venezuela atribuiram aos inimigos da pátria – no caso, a pátria bolivariana – o cancêr que o levou para junto de Deus no dia 5 de março de 2013.

Após boas gargalhadas, parei e pensei: será que, em meio aos desvaneios de Nicolás Maduro e outros chavistas convictos, eles poderão vir a ter razão?

Gargalhei e depois pensei: um dia, quem sabe, talvez.

Sim, porque agora que estou sendo preparado para pensar com a cabeça de historiador – se é que um dia eu virei a sê-lo –, coloquei minha dúvida a alguns dos meus Professores da FMU, onde curso Licenciatura em História desde o dia 1 de fevereiro de 2013.

Sei que muitos dos meus Amigos e colegas poderão rir de mim. Poderão ainda achar que estou ficando louco e até mesmo que já estou louco. Outros dirão, como diz um dos meus Professores, que eu fumei e ou cherei (logo eu que não fumo e não cheiro absolutamente nada; nem hoje, nem nunca).

A verdade, caros e-leitores, é que resolvi dar aos chavistas, comunistas, socialistas e outros membros da “esquerda festiva” o direito da dúvida.

Assim como dou a outros dos meus semelhantes o direito de duvidar que o homem um dia chegou à Lua. Sim, porque, assim como muitos acreditam que foram os poderosos do Hemisfério Norte quem mandou inocular o vírus do câncer em Hugo Chaves, tem muita gente que diz ser uma farsa essa “história” de que um dia Neil Armistrong e companhia pisaram no solo lunar.

Considerando que – de acordo com o que já aprendi dos meus Mestres em História – ninguém é dono da verdade, muito menos o historiador, prefiro esperar o tempo passar até que os arquivos secretos oficiais sejam abertos ao mundo e venham a provar quem está com a razão.

Quanto tempo isso demorará? Quem sou eu para saber. Talvez 100 anos. Ou mais.

O certo é que um dia a verdade virá à tona e ao conhecimento do mundo. Pelo sim ou pelo não. E aí saberemos com quem está a razão. Tanto no caso de Hugo Chavez quanto em relação à viagem do homem à Lua.

Afinal, a Humanidade está repleta de exemplos de equívocos históricos, todos derrubados com o passar do tempo. Equívocos como aquele que levou homens e mulheres a acreditarem por séculos que a Terra – e não o Sol – era o centro do universo.

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968 e estudante de História na FMU/Liberdade/SP.

07/03/2013 18:22:45 (pelo horário de Brasília)

Nenhum comentário: