segunda-feira, 18 de julho de 2016

Por quê? (369) – Tenho um sonho. E você?


Cláudio Amaral

Esses são os desejos que listei num caderno espiral no dia 08/04/2007, localizado nestes dias de arrumação, aqui em casa:

Sonho em voltar a NY (onde estive em 1974, pelo Estadão, e quase voltei mês passado; só não foi possível porque a aeronave da United Airlines foi impedida de levantar voo a partir do Aeroporto Internacional Dulles, em Washington DC, no dia 28/6/2016).

Sonho em voltar a Campo Grande (a capital do Mato Grosso do Sul, onde trabalhei como Diretor de Redação do diário O Estado de MS, em 2004 e 2005).

Sonho em voltar a Barcelona (onde estive com Sueli, Sérgio Kobayashi e esposa em 2001, em viagem patrocinada pela Imprensa Oficial do Estado de São Paulo).

Sonho em voltar a Franca (onde trabalhei por 18 meses, em 2005 e 2006, no diário Comércio da Franca, com Amigos como Corrêa Neves Jr., Sonia Machiavelli, Joelma Ospedal, entre outros).

Sonho em voltar a Recife (onde estive por vezes incontáveis, pelo Estadão, pela Imprensa Oficial e nas últimas vezes ciceroneado pela inesquecível Amiga Adriana Moreira, a saudosa Drika).

Sonho em voltar a Madrid e a Lisboa (cidades que conheci na mesma viagem de 2001).

Sonho em ver minha cidade de São Paulo limpa.

Sonho em vibrar novamente como o meu Corinthians campeão (como em 2015, por exemplo).

Sonho em ver todas as pessoas felizes (como eu nunca vi).

Sonho em saber que todas as fábricas de cigarros foram extintas.

Sonho ter tempo para escrever meus livros (isso até que conquistei, em 2011, quando me aposentei de verdade, depois de ter trabalhado dos seis anos de idade aos 60; agora falta encontrar quem se interesse por publicar os livros que escrevi e estou a escrever).

Sonho ter tempo para as pessoas que precisam de mim (também consegui após 2011).

Sonho ter tempo para ler (idem em relação aos dois sonhos anteriores).

Sonho ter tempo para ver e rever meus filmes preferidos, tais como Perfume de mulher, Don Juan de Marco, E o vento levou, Indiana Jones, Os Maias, Hoje é dia de Maria, 24 Horas e, entre outros, O Alto da Compadecida.

Sonho voltar a falar com, ver e rever todos os Amigos e as Amigas.

Sonho ter tempo para refazer tudo o que não fiz como devia.

Sonho possuir tempo para dar atenção e ouvido às pessoas que amo.

Sonho ter muitos netos, a começar de Beatriz (que nasceu em SP a 12/6/2007) e Murilo (SP, 6/1/2010), que são filhos de Cláudia e Márcio Gouvêa e que há cinco anos moram em Ashburn, VA, EUA.

No mesmo caderno, mas com data de 24/4/2007, encontrei as seguintes anotações:

Sonho ter tempo para ensinar.

Sonho ter tempo novamente para caminhar, fazer ginástica e hidroginástica no Sesc Vila Mariana.

Sonho falar, o mais fluente possível, os idiomas Inglês, Espanhol, Italiano e Frances.

Sonho ter tempo para voltar às celebrações da Missa todos os domingos (consegui há anos).

Sonho voltar aos 75 quilos de 1971 (isso ainda não consegui; cheguei perto, mas depois meu peso voltou a subir).

Sonho conhecer os Estados do Brasil que ainda não conheço: Amazonas, Pará, Piauí, Alagoas, Tocantins, Maranhão, Sergipe, Rondônia, Acre.

Sonho até com coisas e fatos aparentemente impossíveis: o fim da miséria e da pobreza, do racismo e das discriminações, das guerras e dos conflitos religiosos, dos ditadores e das ditaduras, dos pobres e oprimidos, da mentira e dos mentirosos, dos corruptos e da corrupção, da força e do poder do dinheiro, da soberba e da hipocrisia, da prostituição (viva o sexo com amor e carinho), da poluição ambiental e atmosférica, da ganância e dos gananciosos, da exploração do homem pelo homem, do exercício mercantilista da Medicina, das empresas que só visam lucro...

Sonho com o fim da buzina e outros poluentes sonoros.

Sonho com a “descoberta” de um Poder Central/Celestial/Superior, que harmonize o nosso Planeta e o Universo.

Sonho com a prevalência do bom-senso, da paciência, da amizade, da cordialidade, do respeito.

Sonho com um mundo justo e habitado por um povo fiel a Deus e aos bons costumes.

Sonho com o fim corporativismo, do analfabetismo e, tanto quanto possível, da ignorância.

Sonho em voltar ao Teatro, como ator, autor e espectador.

Sonho com o fim dos vírus eletrônicos e dos antivírus.

No dia 11/6/2006, fiz mais as seguintes anotações descobertas agora:

Sonho ver meus livros publicados (tentativa que retomei recentemente com a ajuda de Amigas e Amigos).

Sonho deixar de ser escravo das empresas que têm me explorado (isso eu consegui após a cirurgia do dia 29/7/2011).

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

(*) Cláudio Amaral (clamaral@uol.com.br) é jornalista desde 1º de maio de 1968, Mestre em Jornalismo para Editores pelo IICS/SP (Turma de 2003) e Biógrafo pela FMU/Faculdade de História/SP (Turma de 2013/2015).


18/07/2016 15:15:10 (pelo horário de Brasília) 

Nenhum comentário: