terça-feira, 14 de julho de 2009

Por quê? (160) Ratos, não!!!


Cláudio Amaral

Desde que nos mudamos para Santos, Sueli e eu, estamos no maior sossego.

Dona Cidinha, também.

Só uma vez fomos “visitados” por duas baratas e das grandes.

No mais, nunca mais.

Também, pudera: moramos no sétimo andar.

Aqui, nas alturas, não tem como sermos importunados por outros visitantes inconvenientes.

É o que acreditamos, porque tem gente que nos garante que os ratos, por exemplo, sobem tantos andares quantos forem necessários.

O assunto – ou melhor, os ratos – foi o assunto dia, hoje, terça-feira, 14 de julho de 2009, porque eles, os ratos, apareceram por toda a vizinhança aqui pelos lados do Canal 6.

Diz um conhecido nosso que foi por conta das seguidas chuvas de sábado passado, dia 11.

Choveu muito, o nível das águas do Canal 6 subiram além da conta e os indesejáveis tiveram que abandonar seus abrigos e se proteger nas casas dos humanos.

Azar de quem mora em casas térreas e assobradadas, como alguns vizinhos nossos aqui no bairro da Aparecida.

Eles tiveram que sair correndo dos ratos e atrás deles no meio do dia e também à noite.

Aconteceu isso conosco, também, pelo menos duas vezes em nosso sobrado, na Aclimação, em São Paulo.

É o preço que se paga por morar em casa, ao nível da rua, com a conveniência de quintal e ralos para o escoamento da água.

É o preço que pagamos pelo fato de termos desmatado o que não deveríamos.

Com o desmatamento, os ratos, que eram caçados e comidos pelas cobras, ganharam as nossas zonas urbanas e aí o que se viu foi uma população de roedores indesejáveis muito superior à de humanos.

Pobres de nós, os humanos.

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968, professor e orientador de jovens jornalistas, palestrante e consultor de empresas para assuntos de comunicação institucional. Foi Editor-Executivo em A Tribuna de Santos de 1º/10/2008 a 17/6/2009.

14/7/2009 21:21:45

Nenhum comentário: