terça-feira, 18 de agosto de 2009

Por quê? (167) Santos e os Objetivos do Milênio


Cláudio Amaral

Ninguém pode acusar as cabeças pensantes de Santos de não estarem de olhos voltados para o futuro.

Sejam elas do setor público, da iniciativa privada ou do terceiro setor.

A prova disso foi exposta clara e publicamente no final da tarde desta segunda-feira, no Salão Nobre Prefeito Esmeraldo Tarquínio, no Palácio José Bonifácio, onde funciona a sede da Prefeitura de Santos.

Lá estiveram, por cerca de uma hora, toda a cúpula da administração pública municipal, seis parlamentares com mandatos junto à Câmara de Vereadores e 50 representantes de organizações comunitárias da Capital da Baixada Santista.

Entre elas, o comandante e autoridade máxima da cidade, o engenheiro e prefeito João Paulo Tavares Papa, mais o vice-prefeito Carlos Teixeira Filho (também secretário da Assistência Social) e quase todo o secretariado municipal.

Representando o setor empresarial estava Ronaldo de Souza Forte, um dos mais atuantes da Baixada Santista, diretor Regional Titular do Centro das Indústrias (Ciesp) e presidente da Santos-Arbitral (Câmara de Conciliação, Mediação e Arbitragem de Santos).

A missão de todos era das mais nobres: a posse do Comitê Municipal para Políticas de Referência e Otimização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, o chamado Comitê Pró-ODM.

E quais são esses tais ODMs?

Quem nos explicou foi o secretário municipal de Governo, Márcio Antônio Rodrigues de Lara, com base nos oito objetivos assumidos como compromisso por 189 países reunidos pela ONU (Organização das Nações Unidas):

· Erradicar a pobreza extrema e a fome;
· Atingir o ensino primário universal;
· Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia da mulher;
· Reduzir a mortalidade infantil;
· Melhorar a saúde materna;
· Combater o HIV/Aids, a malária e outras doenças;
· Garantir a sustentabilidade ambiental;
· Estabelecer uma parceria global para o desenvolvimento.

Esses objetivos serão perseguidos com base nos índices de desenvolvimento reunidos por técnicos de todas as áreas no Perfil dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio de Santos.

Esse documento básico foi elaborado por uma comissão liderada pelo cientista político Sérgio Andrade, representante da Agência Pública, a Agência de Análise e Cooperação em Políticas Públicas.

Com muito trabalho e determinação, o Comitê Municipal para Políticas de Referência e Otimização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio deverá apontar ações e soluções que colocarão Santos, em 2015, numa posição de destaque em matéria de políticas públicas.

Uma posição que servirá de exemplo para todos os municípios do Brasil e do mundo.

E mais: fará com seja cada vez melhor e mais agradável viver numa cidade que já é das mais acolhedoras do território paulista e do Brasil.

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968, repórter, editor, professor e orientador de jovens jornalistas, palestrante e consultor de empresas para assuntos de comunicação empresarial e institucional.

18/8/2009 17:12:45

Nenhum comentário: