quarta-feira, 25 de junho de 2008

Por quê? (100) 100 vezes



Cláudio Amaral

100 vezes eu disse sim.

100 vezes eu me recusei a dizer não.

100 vezes eu nasci e 100 vezes me recusei a morrer.

100 vezes eu disse te amo.

100 vezes eu disse te amo para centenas e centenas de pessoas.

100 vezes eu me recusei a dizer te odeio.

100 vezes eu elogiei e centenas e centenas de vezes eu me recusei a ofender alguém.

100 vezes eu enalteci a criatividade, a inteligência, a iniciativa, a coragem, a honestidade, a lisura, a boa vontade de alguém, assim como centenas e centenas de vezes me recusei a jogar na cara de centenas e centenas de meus semelhantes que por centenas e centenas de outros eram chamados de burros, palermas, tapados e centenas e centenas de outros impropérios.

100 vezes eu me levantei, sacudi a poeira e dei a volta por cima e centenas e centenas de vezes ajudei a outros a se levantarem.

100 vezes eu disse muito obrigado a centenas e centenas de pessoas que jamais me pediram por favor.

100 vezes eu escrevi palavras de amor, de carinho, de incentivo, de amparo.

100 vezes eu me livrei da idéia de ajudar a afundar alguém, fosse quem fosse.

100 vezes eu respirei fundo para me livrar de pensamentos negativos em relação a homens e mulheres que não conseguiam pensar positivamente.

100 vezes eu me casei e centenas de vezes eu me casarei novamente.

100 filhos eu quis ter, mas, ainda que meus três filhos valham por mais de 100, centenas e centenas de filhos eu adotei.

100 netos eu quero ter (todos no mínimo tão queridos e amados como Beatriz, na foto com o vovô), 100 netos eu terei, nem que para isso eu tenha que continuar a adotar os filhos e filhas dos amigos, tal qual adotei a pequena, linda e graciosa Sofia, entre outras e outros.

100 sobrinhos eu ainda terei. Sobrinhos, sobrinhas, afilhados e afilhadas.

100 amigos eu já tenho e centenas e centenas de outros – e outras – ainda terei.

100 – ou mais, muito mais – jornais eu já visitei, pessoalmente, um a um, pelo interior paulista e em viagens a outros Estados e paises.

Em 100 lugares eu trabalhei e em centenas e centenas de outros eu ainda oferecerei tudo o que de bom eu tenho para dar nesta vida.

100 anos eu viverei, no mínimo, desde que sejam 100 anos produtivos, ativos, lúcidos e pró-ativos.

100 vezes, 100 anos, 100 vidas, 100 filhos, 100 netos, 100 vezes sim, 100 vezes centenas amigos, 100 vezes 100 vezes 100...

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, 100sível e-leitor?

25/6/2008 10:26:56

11 comentários:

Blog do Cláudio Amaral disse...

Parabens, gostei.
Um abraço.
Lilia.
Wednesday, June 25, 2008 12:53 PM
liliarosalina@hotmail.com

Blog do Cláudio Amaral disse...

Obrigado, Lilia.
Saudades.
Cláudio Amaral
Wednesday, June 25, 2008 13:00 PM

Blog do Cláudio Amaral disse...

Um cento de beijos em seu coração, meu querido.
Antonio Fongaro
Wednesday, June 25, 2008 12:33 PM
tonifongaro@gmail.com

Blog do Cláudio Amaral disse...

Deus lhe pague, sempre, Amigo Toni.
Cláudio Amaral
Wednesday, June 25, 2008 13:34 PM

Blog do Cláudio Amaral disse...

100 palavras.

André Rodrigues

Wednesday, June 25, 2008 12:53 PM

Blog do Cláudio Amaral disse...

PARABÉNS! O TEMPO PASSA RÁPIDO DEMAIS. BJS

Marlene Piñol

Wednesday, January 02, 2002 2:00 AM

Blog do Cláudio Amaral disse...

100 parabéns para você, Tiozão!
E você ainda me pergunta por que?
100 essa!
100 bjs.

Luiz Augusto Michelazzo
Wednesday, June 25, 2008 3:50 PM

Anônimo disse...

100 vezes mais teu fã e amigo!!
Bjs
Pedro Pires
Thursday, June 26, 2008 11:39 AM

Anônimo disse...

Ei, que bonito! Parabéns!
Bjs
Nilva
Wednesday, June 25, 2008 2:25 PM

Anônimo disse...

Continuas o mesmo; gostei; lerei por cem vezes 100; muito bom; mande mais
Abçs..
Edgard Florindo
Wednesday, June 25, 2008 7:03 PM

Anônimo disse...

CLÁUDIO AMARAL: Obrigado por me enviar suas cronicas.
Gosto delas.
Espero vê-las em um livro, proximamente.
Abraços extensivo a Sueli Teresinha.
Giaxa
Marília, 26/6/2008