sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Por quê? (255) Brasil ou Estados Unidos?

Cláudio Amaral

Ninguém quer ouvir falar na minha ideia de ficar por aqui e de viver nos Estados Unidos da América. Ninguém.

Quando aqui chegamos, Sueli e eu, na agradável manhã do dia 19 de setembro de 2011, ela, que me acompanha há 42 anos, já sabia que minha ideia era viver o máximo possível por aqui.

Mas ela nunca concordou. E sempre argumentou que temos duas casas no Brasil (na Aclimação/SP/Capital, especificamente), dois filhos (Mauro, casado com Vivian, e Flávio), muitos parentes e um número incontável de Amigas e Amigos.

Tanto ela quanto eu temos irmãs e irmãos, tios e tias, cunhadas e cunhados, comadres e compadres. Ela ainda tem a mãe, que mora em Santos (SP).

Ou seja: possuímos um largo círculo de amizade e relacionamentos cordiais e afetivos.

Além disso, no nosso meio paulistano já estamos acostumados com nossos médicos, dentistas, farmácias, supermercados e feiras livres, entre outros.

Ela tem ainda uma larga freguesia na área de costura, por conta das atividades que desenvolveu a partir das aulas de patchwork (trabalho com retalho) que fez na Casinha de Retalho, em Santos. E também do blogue que criou: http://patchworksueliamaral.blogspot.com.

Mesmo assim eu continuo disposto a tentar viver por aqui. Não só porque Ashburn Village é, sem dúvida, a comunidade mais tranquila que me foi possível conhecer nestes meus quase 62 anos de vida. Mas porque encontrei neste local a paz e felicidade que tenho buscado nos últimos anos de vida.

Hoje (sexta-feira, 21/10/2011), por exemplo, conheci uma senhora mexicana que vive em Ashburn Village há 12 anos. Estava eu a caminhar em torno do lago com nosso “pequeno príncipe” Murilo do Amaral Gouvêa (1,9 ano de idade), quando ela, a senhora do México, me abordou e começamos a conversar em Espanhol.

Embora tenha me dito que sente muita saudade do país dela, da família e das amigas que lá deixou, que gostaria de voltar porque nunca conseguiu trabalho por estes lados e também porque aprecia mais a agitação da Cidade do México do que a tranquilidade de Ashburn Village, ela me deu uma luz ou uma ideia para a qual eu não havia atentado até agora:

- Diga ao pessoal da imigração dos EUA que o senhor e sua esposa estão aposentados e que gostariam muito de viver ao lado dos netinhos. Eles certamente concordarão com a permanência dos senhores em território norte-americano.

Confesso que – a menos de um mês da viagem de volta ao Brasil, marcada para o dia 16/11/2011 – fiquei animado com a ideia. Mais animado do que nunca.

Por quê?Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968.

21/10/2011 17:54:47

Nenhum comentário: