segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Por quê? (251) Carta aberta ao Professor Ricardo Chiqueto

Cláudio Amaral

Caríssimo Professor Ricardo Chiqueto, boa noite. Você é são-paulino, eu sou corintiano, mas nossos humores estão acima de nossas paixões futebolísticas.

Por isso, escrevo-lhe desde Ashburn Village, Virginia, Estados Unidos, a quase 8.000 quilômetros de distância, para lhe dar uma grande notícia.

Grande notícia para mim, pelo menos: estou cada vez melhor preparado para voltar aos nossos exercícios de Pilates, na FisioSenior (http://www.fisiosenior.com.br) assim que retornar ao Brasil, em fins de novembro.

Tenho (na verdade, temos, Sueli e eu) aproveitado as maravilhas que Ashburn nos oferece e caminhado. Caminhado sempre. Diariamente.

Apesar da chuva e do frio de até seis graus centígrados, temos caminhado diariamente até o supermercado da região (Giant) e em torno do lago que existe aqui pertinho.

Cada caminhada destas nos ocupa por meia hora, pelo menos. E o que é melhor: sem poluição alguma (você acredita?).

Temos feito serviços domésticos, também, até porque a casa é grande e a Cláudia, nossa filha, precisa de ajuda.

Hoje, 3 de outubro de 2011, dia do aniversário da Sueli, fui ao posto do correio a pedido da Cláudia. A Sueli foi comigo.

Depois, tomamos um bom “café da tarde” aqui em casa e eu sai para andar. Caminhei por meia hora em torno do lago, que tem três vezes mais o tamanho do lago do Parque da Aclimação.

Foi o máximo, Professor Ricardo Chiqueto, porque tive oportunidade de ver um coelho, dois patos, vários esquilos e gente falando inglês e espanhol. Tudo na maior tranquilidade, sem correria, entre plantas e flores, verde e muitas cores.

Por falar em gente: aqui quase 100% das pessoas cumprimenta a gente quando passa por nós nas caminhadas, nas compras, nos supermercados, nas lojas, etc.

Tem mais: todos têm carros (geralmente, carros grandes e novos) e raramente se vê alguém caminhando às margens das rodovias. Somos exceções, portanto.

Além das caminhadas, Professor Ricardo, temos feito serviços de “jardinagem”, também. E minha alegria foi imensa, semana passada, quando eu me abaixei mais de 100 vezes (abdominais?) para recolher gravetos e nenhuma tontura senti. Logo eu que não podia dar uma abaixadinha sequer que me sentia tonto.

Ah! Nas caminhadas, tanto Sueli quanto eu temos feito exercícios de respiração. Exatamente aquele que você ensinou.

Conclusão: estou certo de que estarei plenamente pronto para voltar aos nossos exercícios de Pilates no retorno ao Brasil. Com a graça de Deus e a aprovação dos meus médicos (Dr. Gentil Silva, Dr. Diego Lins e outros, muitos outros, que tão bem me atenderam antes, durante e depois da cirurgia cerebral do dia 29/7/2011).

Isso não é o máximo, Professor Ricardo Chiqueto?

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968.

3/10/2011 19:24:18 (atualizado às 21:23:43)

Um comentário:

Anônimo disse...

From: Ricardo Chiqueto
To: Cláudio Amaral
Sent: Tuesday, October 04, 2011 2:19 PM
Subject: Re: [Blog do Cláudio Amaral] Por quê? (251) Carta aberta ao Professor Ricardo Chiqueto


Olá meus amigos !!!!!!!!!!!

Fico muito feliz em saber que estão todos bem e vcs (Vovô e Vovó) curtindo essa faze tão gostosa !! E mais feliz ainda em saber que o Sr. esta cada vez melhor e aqueles problemas como os citados, as tonturas entre outros cada vez mais fazem parte do passado!!!

É gratificante saber que meus queridos alunos estão tão longe, mas ao mesmo tempo colocando em prática algumas coisas que eu tive o prazer de compartilhar meus conhecimentos, porque quem sou eu pra lhe ensinar ou ensinar à Dna Sueli....vcs sim é quem são os professores de verdade, verdadeiros exemplos de vida, amor, família e lealdade! Meus parabéns e que Deus continue abençoando vcs e a vossa linda família!!!

Aguardo o vosso retorno ansiosamente!
Muito obrigado mais uma vez....

APROVEITEM !!!!!

Ricardo Chiqueto