quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Por quê? (174) Uma pipoca, por favor


Cláudio Amaral

No final do ano passado, trafegando pela avenida da praia, em Santos, senti uma vontade louca de comer pipoca.

Era outubro.

Meados do mês.

Eu estava ao volante do meu Honda Fit, vermelho como uma Ferrari.

Ao meu lado, no banco do passageiro, eu levava o Amigo Mário Evangelista, jornalista como eu.

Comentei, no ato, em voz alta:

- Mário, estou com vontade de comer pipoca.

E ele, para minha surpresa, respondeu:

- Eu também.

Como a vontade era mútua, Mário e eu decidimos buscar um carrinho de pipoca.

Combinamos, então, que eu diminuiria a velocidade do carro e ele procuraria um pipoqueiro.

Não demorou muito e Mário gritou:

- Olha lá. Lá tem um pipoqueiro.

Ele, o pipoqueiro, tinha o carrinho estacionado na esquina da avenida da praia com a Rua da Paz.

Mário pediu que eu parasse o carro e desceu.

Antes, entretanto, combinamos que ele compraria dois saquinhos enquanto eu dava a volta no quarteirão e voltaria para pegá-lo.

Dito e feito.

Voltamos para o Gonzaga Flat, onde vivemos os primeiros 30 dias de Santos e nos deliciamos com a pipoca.

Passados dez, quase 11 meses, Mário e eu relembramos o ocorrido na manhã desta quarta-feira, 2 de setembro de 2009.

Estávamos na sala da casa em que ele mora com a mulher, a filha e a cunhada: Mônica, Marcela e Helô, pela ordem.

Eu havia ido até lá – uma casa grande, na vila existente na esquina das avenidas Epitácio Pessoa e Coronel Montenegro, junto ao Canal 6 – para ver Mário e Mônica, corintiana como eu.

Fui e levei um bom pedaço de bolo preparado pela Dona Cidinha, minha sogra.

Eu vestia a camisa do Timão, que à noite jogaria com o Santos FC e venceria por 2 a 1.

Mário tomou a iniciativa de relembrar nossa aventura em torno da vontade de comer pipoca.

Relembrou e contou em detalhes para Mônica.

Estávamos os três sentados nos sofás da sala e rimos muito.

Rimos muito.

Rimos muito relembrando os bons tempos da pipoca.

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968, repórter, editor, professor e orientador de jovens jornalistas, palestrante e consultor de empresas para assuntos de comunicação empresarial e institucional.

3/9/2009 01:56:58

Um comentário:

anareis disse...

Querido(a) novo(a) amigo(a),estou precisando muito da ajuda de todos os amigos. estou montando uma minibiblioteca comunitária pra crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,se voce puder me ajudar estou fazendo uma campanha de doações. pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3, ou pode doar livros ,ou pode doar máquina de costura, ou pode doar retalhos, ou pode doar computador usado. se quizer fazer aguma doação entre em contato com meu email: asilvareis10@gmail.com ,eu darei o endereço de remessa. se voce não puder me ajudar com doações pode divulgar minha campanha, tenho 2 blogs no google gostaria da sua visita: Eulucinha.blogspot.com ,obrigado pela sua atenção