terça-feira, 27 de maio de 2008

Por quê? (88) Os caminhos que nos levam a Marília


Cláudio Amaral


Sempre que volto às duas cidades em que nasci, pessoal e profissionalmente, eu me renovo.

Renovo minhas energias, embora elas sejam sempre positivas.

Renovo meu ânimo, minha disposição, minha alegria, minhas amizades.

Enfim, eu me renovo por inteiro.

Foi assim no segundo semestre de 2006, quando voltei a Adamantina, onde minha mãe me colocou neste mundo.

Foi assim na quarta, na quinta e na sexta-feira da semana passada, quando estive em Marília, a cidade sede do jornal em que me iniciei como jornalista, há 40 anos. Sim, porque foi no Jornal do Comércio de Marília, editado e dirigido na época pelo Mestre Irigino Camargo que eu vi publicada minha primeira reportagem, feita no dia 1º de maio de 1968.

Mas, confesso, publicamente, que tem algo que me aborrece, me entristece, me contraria nessas minhas viagens de ida e volta a essas duas cidades: o lastimável, o lamentável, o desagradável, o revoltante estado de conservação da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, a SP 294.

Escrevi a respeito há mais de dez anos. Na época, fiz um apelo público ao então governador do Estado, Mário Covas. Falei com ele, pessoalmente, num encontro que tivemos no “Quero Mais”, o comitê que Dona Lilá Covas organizou junto ao Shopping Eldorado, aqui em São Paulo, durante a campanha pela reeleição do melhor chefe do Executivo que nós, paulistas, tivemos em todos os tempos.

Surpreendentemente, de nada adiantou.

Nem mesmo o fato d´eu ter tentado mexer, sem ferir, com os brios dos políticos da região de Garça, Gália, Vera Cruz, Marília, Oriente, Pompéia, Tupã, Osvaldo Cruz, Lucélia, Adamantina, Flórida Paulista, Junqueirópolis, Irapuru, Tupi Paulista, Dracena e Panorama, entre outros municípios.

Nem Covas, nem Geraldo Alckmin, nem Cláudio Lembo conseguiram melhorar as pistas da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros.

Nem eles, nem os prefeitos, nem os vereadores, nem os deputados estaduais e federais da região foram capazes de nos dar uma estrada decente.

É por isso que vamos bem, muito bem, de São Paulo a Bauru. Depois, como escrevi há mais de dez anos, entramos num outro mundo: o mundo dos buracos, dos desvios, das obras intermináveis.

Em Marília, quando reclamei dessa situação, semana passada, teve gente que me disse, com a maior cara de pau, que “a Ribeiro de Barros está sendo duplicada”.

Sim, é verdade: a Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros está sendo duplicada. Mas, também é verdade que as obras não acabam. Nunca. Jamais.

É para isso que servem os políticos da região?

Se for para isso que eles servem, passem bem, porque nós não precisamos de vocês. De nenhum de vocês.

Foi muito bom voltar a Marília, semana passada, para dar um beijo e um abraço na Dona Cidinha, pelos 80 anos de vida dela, e também rever os amigos, mas teria sido melhor ainda se a Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros estivesse bem conservada.

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caríssimo e-leitor?

27/5/2008 09:24:21

3 comentários:

Anônimo disse...

É isso, meu caro Cláudio: uma obra interminável e muito dinheiro já se perdeu em obras abandonadas.
Seguinte: no texto há que se fazer uma correção. Você coloca o nome da rodovia corretamente no início do artigo (João Ribeiro de Barros), mas quando volta a citá-la aparece JOÃO RIBEIRO DO VALE.
Vou publicar o artigo amanhã no Jornal da Manhã.
Abraço
Jocelin Machado de Oliveira - Editor-Chefe

Blog do Cláudio Amaral disse...

Até falho, Jocelin. Ainda bem que você viu e me avisou. Corrigido está.

Abraços,

Cláudio Amaral

Daiane disse...

Caro Cláudio, graça e paz...Ufa, que bom tem uma voz profética falando a pessimas condições da SP 294. Sim ela está sendo "arrumada" mas após muita briga e ações na justiça onde somos réus. Voce Acredita? Sim, O jornal da Cidade está sendo penalizado judicialmente pelo diretor do DER de Presidente Prudente que quer reparação por dano moral, por um articulista ter escrito e chamado a atenção das autoridades e dele, perguntando a ele se ele estava onde que não via a situação da SP sob sua responsabilidade e ainda sobre as péssimas condições da SP- 294 que já ceifou dezenas de vitimas alé de danos materiais aos usuarios da mesma. Aqui em Adamantina, a briga continua e não vão calar nossas vozes. gde abraço. Carolina (jornal da cidade)