segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Por quê? (109) Você tem idéia?



Cláudio Amaral

Você tem idéia, caro e-leitor, da emoção que um ser humano, brasileiro da classe média, sente ao sair de casa na primeira hora da manhã de um sábado, com destino a um dos melhores e mais famosos autódromos do mundo?

Você tem idéia do que é – e como é – voltar ao Autódromo de Interlagos (imagem acima) depois de mais de 14 anos?

Você tem idéia de quantos filmes passam pela cabeça de um cidadão enquanto ele faz o trajeto entre o bairro em que vive, próximo à região central da Capital paulista, e o Autódromo de Interlagos?

Você tem idéia de quão emocionantes são todos esses filmes?

Você tem idéia do que o cidadão brasileiro sente ao enfiar a mão direita no bolso e tirar uma nota de R$ 50,00 para pagar R$ 30,00 pelo estacionamento do veículo que o levou a Interlagos?

Você tem idéia do que é voltar a Interlagos pela primeira vez depois de 1º de maio de 1994?

Você tem idéia de como se sente o brasileiro que vai a Interlagos sabendo que não encontrará por lá o cidadão Ayrton Senna da Silva?

Você tem idéia da emoção que passa pelo cérebro e arrepia o corpo todo de uma pessoa que foi a Interlagos por mais de uma centena de vezes e volta a colocar os pés por lá depois de mais de 14 anos?

Você tem idéia do que é sentir o ronco forte dos motores dos veículos que disputam o Campeonato Brasileiro de Stock Car de 2008?

Você tem idéia do quanto tremem as arquibancadas de Interlagos no exato momento da largada de 20 carros da Copa Nextel de Stock Car?

Você tem idéia do que é constatar que mais de 14 anos se passaram desde a última ida a Interlagos e ainda estão por lá, competindo, pilotos como Ingo Hoffmann?

Você tem idéia do que passa pela cabeça de “um rapaz latino-americano... vindo interior” quando ele fica sabendo que Paulão Gomes e Chico Serra não competem mais, mas que os descendentes deles estão lá, competindo e vencendo?

Você tem idéia do que é ir a Interlagos como cidadão comum para quem já lá esteve por mais de uma centena de vezes como credenciado com liberdade para ir e vir por onde desejar em todas as provas, inclusive as de Fórmula 1?

Você tem idéia do que é olhar para a pista de Interlagos e lembrar que ali já competiram pilotos da categoria de Alan Prost, Nick Lauda, Nigel Mansel, Nelson Piquet, Michel Schummacher, Rubens Barrichello, Felipe Massa, entre muitos outros, mas principalmente Ayrton Senna da Silva?

Você tem idéia do que é pisar o chão por onde passaram três integrantes do clã Fittipaldi (Emerson, Wilsinho e Christian), todos descendentes da figura impar que é o barão Wilson Fittipaldi, pioneiro nas transmissões de competições automobilísticas pela Rádio Panamericana, a Jovem Pan?

Você faz idéia do que é rever, ainda que de longe, o outrora “menino da selva” Antônio Pizzonia, que brilhou no Kartódromo Schincariol, em Itu, para depois ganhar o mundo a bordo de um Fórmula 1?

Você faz idéia do que é voltar ao Autódromo de Interlagos e ali não ver mais, além de Ayrton Senna da Silva, também o jornalista que mais entendia de automobilismo de competição e mais conhecia os pilotos brasileiros, o saudoso e inesquecível Cecílio Favoretto?

Você faz idéia de tudo isso?

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?

4/8/2008 12:40:25

Nenhum comentário: