terça-feira, 9 de agosto de 2011

Por quê? (236) O mundo mudou de cor?


Cláudio Amaral

O título desta crônica leva uma interrogação, mas eu tenho certeza absoluta de que o mundo mudou de cor.

Qual é a nova cor?

Azul, talvez, por ser a minha cor preferida.

Rosa, quem sabe, por ser a cor preferida de Beatriz, minha netinha querida.

Verde, sim, porque não, essa que é a cor da nossa bandeira.

Branco, outra cor importante do pavilhão nacional.

Pode ser amarelo, também. Pode sim.

Seja qual for – azul, rosa, verde, branco ou amarelo –, a nova cor do mundo tem tudo a ver com o meu estado de espírito.

A nova cor do mundo está ligada de perto, bem de perto, com o estado da minha alma.

Afinal, muita coisa mudou para mim depois do dia 29 de julho de 2011.

Mudou a forma como eu vejo as pessoas, que, hoje, para mim são mais gentis, mais dedicadas, mais aplicadas e dispostas a serem mais competentes.

Por exemplo: os técnicos em enfermagem, os enfermeiros e os médicos que me atenderam no Hospital Sancta Maggiore, na Rua Maestro Cardim, no Paraíso, aqui em São Paulo, foram de uma dedicação e de uma gentileza que eu jamais havia visto nestes meus 61 anos de vida.

Foi por isso que passei a olhar para eles com outros olhos, embora os meus fossem os mesmos destas mais de seis décadas de vida.

Foi por isso – e muito mais – que passei a enxergar neles o azul ou talvez o rosa ou verde ou branco ou então o amarelo ou ainda todas elas juntas. Algo bem psicodélico.

Para mim é inadmissível passar por alguém, seja quem for, sem dizer “bom dia”. Mas não um bom dia qualquer e sim um bom dia do fundo da alma.

O mesmo acontece em relação a quem trabalha na feira livre do meu bairro, a Aclimação, onde estive na terça-feira em companhia de Sueli e Beatriz, minha netinha.

Acontece ainda com os profissionais das farmácias, padarias, supermercados e empórios da minha região.

Esses são alguns exemplos que tenho cá comigo para sustentar que o mundo mudou de cor.

Mudou e foi recente, bem recente.

E a nova cor do mundo não precisa, necessariamente, ser o azul, rosa, verde, branco ou amarelo.

A nova cor do mundo pode ser qualquer outra, desde que seja uma cor viva, alegre. Uma cor para levantar o astral e para modificar completamente o estado de espírito e da alma. Meu e de todas as pessoas que me são caras.

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que, caro e-leitor?


(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968.


9/8/2011 23:43:38

Um comentário:

Anônimo disse...

Que texto bonito, sogrão!! O mundo mudou de cor sim e vai ficar ainda mais colorido. cada dia mais!!