quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Por quê? (13) O jornal


Cláudio Amaral

São 6h20 da manhã de sábado, 22/12/2007.

Acabei de acordar por obra e graça do meu relógio biológico.

Ou terá sido por causa das minhas necessidades fisiológicas?

Se não foi uma, foi a outra.

Fiz o que tinha a fazer e, ao invés de voltar para a cama, mudei de cômodo, abri a porta da frente de minha casa e... nada.

Mais uma vez, o jornal não chegou.

Lástima.

“Não adiante se lastimar”, disse-me uma voz interior.

Dei meia volta, fechei a porta e me perguntei:

- Por que não adiante lastimar?

E lá veio a minha voz interior:

“Faz meses, e você sabe bem disso, que o Estadão chega às 7h30 ou até mais tarde”.

É verdade.

Pior que é verdade.

E pra complicar, não adianta reclamar.

Para cada reclamação vem uma desculpa.

Até parece que o pessoal que atende as reclamações lá pelos lados do bairro do Limão tem uma lista de desculpas.

Ou seria uma desculpa decorada?

Não sei.

Só sei que fiquei em pé junto à porta, espiando pela janelinha, até o entregador chegar.

Nem precisava.

Ele faz tanto barulho, ou melhor, a lata velha dele faz tanto barulho quando entra na minha rua, que todos ficamos sabemos que o Estadão chegou.

Abri a porta de uma só vez, encostei na grade de ferro e me preparei para reclamar.

Respirei fundo e disse:

- Assim não dá, chefe.

“Por que?”, ele me perguntou.

- Com o Estadão chegando a essa hora, vou ser obrigado a cancelar a assinatura e bandear para a Folha.

Sabe você o que ele, o entregador, me respondeu?

“Não adiante, doutor”.

Sem uma respiração a mais, nem uminha sequer, devolvi:

- Por que não adianta, chefe?

Ele levantou a outra mão, me mostrou um exemplar de um outro jornal e disparou, sem dó nem piedade:

“Porque sou quem entrega a Folha, também, doutor”.

Dito isso, ele apertou o passo e foi em frente, entregando folhas e estadões, porque outros assinantes também estavam à beira de um ataque de nervos.

- Por quê?

Sei, não.

Quem souber que me diga.

(*) Cláudio Amaral
clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968; professor e orientador de jovens jornalistas; palestrante e consultor de empresas para assuntos de comunicação institucional.

22/12/2007 15:18:51

Nenhum comentário: