quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Por quê? (30) São Paulo


Cláudio Amaral

Há tempo, muito tempo, eu não escrevo a respeito do meu amor por São Paulo, a cidade.

Falar, sim, eu falo sempre que posso e tenho oportunidade.

Mas, escrever e descrever o meu amor por São Paulo, preto no branco, tenho feito pouco.

A última vez, lembro-me bem, foi há pelo menos cinco anos, num artigo para o site da Aclimação, “o bairro mais agradável de São Paulo”.

São Paulo, todos sabemos, tem um monte de defeitos.

Gente em excesso, por exemplo. E, por conseqüência, casas e prédios, automóveis, caminhões e ônibus, congestionamentos, acidentes, assaltos, roubos, lixo nas vias públicas, etc.

Tudo em São Paulo é grande e os exemplos são muitos.

Mas, um, apenas um, dá a idéia da grandeza desta metrópole, a quarta maior do mundo: um milhão e 300 mil veículos saíram da Capital paulista nesses dias, exatamente porque é feriado em São Paulo nesta sexta-feira, data da fundação da cidade.

Outro exemplo: 400 mil veículos irão para o litoral, ou seja, levarão algo em torno de dois milhões de pessoas para as nossas praias.

Entretanto, para compensar, quem vive em São Paulo ou para aqui vem a passeio ou a negócio, tem tudo à mão.

Tudo.

Aqui temos lojas e centros de compras de todos os tipos e tamanhos.

Aqui temos ruas inteiras especializadas em produtos e serviços: a Santa Efigênia para os eletroeletrônicos, a São Caetano para as noivas e a Teodoro Sampaio para os móveis, só para citar alguns exemplos.

Aqui são lançadas com prioridade as mais novas produções do cinema, do teatro, da música e das demais artes.

Os melhores e mais famosos museus do País estão aqui.

Aqui temos as melhores escolas e os melhores times de futebol, incluindo o meu Corinthians.

Tem também o Palmeiras, a Portuguesa, o Juventus, o Nacional e o SPFC, três vezes ganhador da Copa Toyota, no Japão, quatro vezes campeão do Brasileirão e muito mais.

Aqui tem samba, também.

Não o melhor samba do Brasil, que está no Rio de Janeiro.

Mas, as escolas de samba de São Paulo são boas e famosas.

Inclusive a minha Gaviões da Fiel.

Digo e sustento sempre: só não gosta de São Paulo quem não a conhece.

Conheço gente de outras cidades que morre de medo de vir até aqui.

Quem vem, entretanto, dificilmente volta.

Morei aqui quando criança, fui embora em 1958 por decisão de meu pai e voltei em 1971 para nunca mais ir daqui.

Sim, estive em Campo Grande por oito meses, em 2004 e 2005; depois, em Franca (SP) por 18 meses, em 2005 e 2006, mas jamais deixei de ter residência fixa em São Paulo.

Jamais deixei de amar a cidade de São Paulo.

Por quê?

Ah... e você ainda pergunta por que?

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968; professor e orientador de jovens jornalistas; palestrante e consultor de empresas para assuntos de comunicação institucional.

25/1/2008 12:22:45

Nenhum comentário: