quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Por quê? (9) Cidade limpa

Cláudio Amaral

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, realmente está a limpar a cidade.

Parabéns, prefeito.

Parabéns, especialmente porque ninguém acreditava em você, uma figura desconhecida, ou melhor, conhecida apenas nos círculos empresariais, e assim mesmo no âmbito da Associação Comercial de São Paulo, de onde se destacaram figuras como Paulo Maluf e Guilherme Afif Domingos.

Ainda assim, gente, São Paulo segue sendo uma cidade suja, imunda.

Por quê?

Sei, não.

Mas, a verdade verdadeira é que minha querida e amada São Paulo está pior, muito pior, do que a chamada “casa da mãe Joana”.

Não que eu tenha conhecido a “casa da mãe Joana”.

Jamais conheci uma Joana que justificasse tal má fama.

E por que São Paulo está assim, tão suja, com lixo para todos os cantos?

Ah, isso eu sei.

Sei, sim.

Sei e digo: porque aqui vive um povinho de lascar.

Um povinho sem a mínima educação, bons modos, princípios higiênicos, etc. e tal.

Por quê?

Sei, não.

Sei apenas que desde criança pequena lá em Adamantina minha mãezinha me dizia:

- Educação vem do berço.

Se isso é verdade – e eu acredito que sim – a maioria do povinho que vive em São Paulo nunca teve berço.

Nem um, nem outro.

Imagino como é casa desse povinho que joga nas ruas da cidade coisas como papel, ponta de cigarro, resto de comida, tampinha de garrafa, sacos plásticos, lixo em geral sem o devido acondicionamento.

Hoje, 4 de dezembro de 2007, enquanto esperava o trem na estação Ana Rosa do Metrô, vi algo que não via há muito tempo: um cidadão cuspir nos trilhos.

Alem de cuspir, ele fez mais: escarrou.

Fiquei com nojo dele.

Quase vomitei.

Olhei para um lado, olhei para o outro lado e me perguntei: por quê?

Sei, não.

Quem souber que me diga.

(*) Cláudio Amaral clamaral@uol.com.br é jornalista desde 1º de maio de 1968; professor e orientador de jovens jornalistas; palestrante e consultor de empresas para assuntos de comunicação institucional.

4/12/2007 16:14:55

Nenhum comentário: